Saúde

Abril Marrom: mês traz alertas sobre saúde ocular

abril marrom

Campanhas de conscientização como Outubro Rosa e Novembro Azul são bem conhecidos, mas você já ouviu falar do Abril Marrom? O mês foi o escolhido para, todos os anos, celebrar a conscientização da população brasileira para a prevenção da cegueira e educar sobre as necessidades dos cuidados com a saúde ocular. Diagnóstico, tratamento precoce e reabilitação são as palavras-chave da campanha.

Criado em 2016, o Abril Marrom é um esforço de entidades médicas, centros hospitalares e governos que trabalha principalmente no aspecto da prevenção, uma vez que muitos casos de cegueira podem ser com o diagnóstico e tratamento precoces. Só no Brasil, são cerca de 1,2 milhão de cegos e a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que entre 60% a 80% dos casos de cegueira poderiam ser tratados e/ou evitados.

A cor marrom foi escolhida por ser a cor da íris da maioria dos brasileiros, e a campanha vem ganhando cada vez mais força no calendário das temáticas de saúde do país. Cada cidade possui sua programação e vale a pena conferir, pois é uma oportunidade não só de se informar, como também de realizar exames e consultas.

Palestras com especialistas, exames e testes de acuidade visual, entre outros são algumas das iniciativas organizadas todos os anos. Além disso, muitas cidades realizam eventos para oferecer tratamentos. Em Salvador, por exemplo, quem desenvolveu e lidera o Abril Marrom é o Instituto de Cegos da Bahia (ICB), que realiza mutirões para atender crianças portadoras de microcefalia, além de oferecer atendimento oftalmológico gratuito para a população e trabalho de reabilitação para aqueles que possuem cegueira.

Dentre as doenças que podem levar à cegueira, algumas são bem frequentes no cotidiano da população mas negligenciadas devido à falta de conhecimento sobre suas consequências a longo prazo, como é o caso da catarata e do glaucoma. Por isso, a campanha de Abril Marrom é essencial.

Saúde ocular no Brasil

Atualmente, a cegueira atinge cerca de 1,2 milhão de pessoas no Brasil e mais da metade desses casos poderiam ser tratados e/ou evitados, como já mencionamos acima. Isso significa que quase 700 mil brasileiros poderiam estar enxergando se as pessoas tivessem a chance e o acesso a um diagnóstico e tratamento precoces.

Falando em deficiências visuais, não apenas a cegueira, segundo o levantamento da Pesquisa Nacional de Saúde, realizada em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 3,6% da população brasileira apresenta algum tipo de deficiência visual, incluindo cegueira total, parcial (em um dos olhos) e baixa visão. A Região Nordeste é a segunda região brasileira com maior quantidade de pessoas com deficiência visual, e a Região Sul é a primeira.

Os cuidados começam desde o nascimento e continuam por toda a vida. É necessário visitar o oftalmologista ao menos uma vez por ano. Visitas regulares ao oftalmologista são a melhor forma de identificar e prevenir doenças graves que possam levar à cegueira.

Ouça o post

O artigo escrito por:

Profissional Técnica Óptica, é formada em Técnico Óptico no Senac Tiradentes e tem mais de 18 anos de experiência na área. Tem conhecimentos avançados sobre lentes de contato, podendo facilmente identificar, interpretar e aplicar tecnologias disponíveis para adaptação de lentes de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.