Lentes de contato

Calor: redobre os cuidados com as lentes de contato!

Quando chegam os dias mais quentes, é imprescindível aumentar os cuidados com as lentes de contato. Isso porque, nessa época, os casos de contaminação aumentam consideravelmente. Uma explicação comum para o problema é de que as temperaturas elevadas favorecem a proliferação de bactérias e outros microorganismos.

Para evitar a contaminação, é essencial intensificar a higienização das lentes e evitar usá-las em algumas situações, como dentro da piscina, na água do mar ou na praia. Confira abaixo algumas dicas essenciais para um uso seguro.

Se o olho reclamar, é hora de retirar as lentes

Ao perceber que a parte branca do globo ocular ficou vermelha, sensível à luz ou com a visão borrada, é preciso tirar as lentes de contato e procurar um oftalmologista. Colocar colírios por conta própria, por mais que diminua os sintomas, pode mascarar o problema. Por isso, nada de automedicação. 

A conjuntivite e a Síndrome do Olho Vermelho são mais comuns nessa época, muito por conta das aglomerações e a mão suja na região. Então, fique atento aos sinais e, se perceber que algo não vai bem, procure ajuda de um especialista.

Use o produto correto para a limpeza das lentes de contato

O soro fisiológico, apesar de usado por muitos, não é o produto ideal para higienizar as lentes. Como ele não possui os conservantes necessários, as contaminações se tornam mais comuns. Daí a necessidade de usar as soluções corretas. Quem é alérgico, deve seguir com os frascos de dose única de soro.

Além disso, lavar bem as mãos antes de começar a higienização é essencial – assim como guardar o estojo em local seco e bem arejado. Quando for retirar maquiagem ou usar sprays de cabelo ou de pele, lembre-se de retirar as lentes. O contato desses produtos podem contaminar a camada protetora.

Cuidado quando for usar

Lentes de contato não combinam com a praia, mar ou piscina. Isso porque, além das possíveis bactérias desses ambientes, o cloro e o protetor solar podem causar infecções na córnea. Outro ponto perigoso é o risco de contrair parasitas, como, por exemplo, a acanthamoeba – que na água do mar ou piscina tem mais facilidade de contaminar as lentes.

Além disso, é essencial retirar o acessório antes de dormir. Durante o sono, a produção lacrimal diminui, assim como o oxigênio na córnea. Como resultado, o uso das lentes pode aumentar de 10 a 20 vezes as chances de deformação na região.

Ouça o post
Voiced by Amazon Polly

O artigo escrito por:

Profissional com sólidos conhecimentos técnicos que estão alinhados com sua experiência prática. Atua no segmento oftalmológico a mais de 20 anos. Focando principalmente em alternativas diferenciadas e inovadoras nas suas funções. Esse conjunto de características oferece aos clientes uma relação perfeita entre a córnea e os diversos tipos de lentes de contato. Trazendo ao usuário o máximo de qualidade a sua visão.“ Tenho como princípio básico que a personalização do atendimento leva a excelência”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.