Variedades

Outubro Rosa: entenda a importância do autoexame.

É durante o mês de outubro que ocorre a principal campanha de conscientização sobre o câncer de mama. Quando as ruas, empresas e entidades de saúde se vestem de rosa, o debate sobre a prevenção e diagnóstico precoce ganha força. E isso é essencial – para se ter uma ideia, estima-se que 66.820 novos casos serão confirmados no Brasil só durante o ano de 2020.

Nesse número, as mulheres são as mais impactadas, mas é preciso ter em mente que o câncer de mama não é exclusividade delas. Os homens também podem ser diagnosticados com a doença – a questão é que é muito menos frequente entre eles.

A importância do autoexame

Em qualquer tipo de tumor, o diagnóstico precoce pode fazer toda a diferença no tratamento e chances de cura – e com o de mama não seria diferente. O autoexame significa tocar os próprios seios, conhecer as características do corpo e tentar perceber se há algo de errado.

Muitos casos podem ser percebidos só com esse leve apalpar. Por isso, é indicado que todos, principalmente as mulheres, adotem essa prática. Mas é importante ressaltar: só o autoexame não é o suficiente.

É preciso, junto dele, fazer o acompanhamento médico e exames de rotina – especialmente após os 50 anos, quando essa doença se torna mais comum. Os tumores em estágio inicial tem no máximo 1cm e, por serem tão pequenos, não são percebidos durante o autoexame. Mas é exatamente nessa fase que as chances de cura chegam a 95%.

Por isso é necessário reforçar que o autoexame, apesar de importante, não substitui o acompanhamento médico.

O passo-a-passo

Para fazer o autoexame corretamente é preciso seguir alguns movimentos. São eles: em frente ao espelho, escolha o primeiro seio para a analisar e, então, coloque o braço deste mesmo lado atrás da cabeça. Perceba no reflexo se houve algum tipo de retração da pele ao fazer esse movimento. Com o braço ainda levantado, apalpe de forma circular toda a região da mama, incluindo a axila – depois, aperto o bico do seio e veja se sai algum líquido. Abaixe o braço e faça o mesmo processo com a outra mama.

Se notar algo fora do comum, como um nódulo, retração da pele ou saída de líquido, é importante procurar um médico para exames aprofundados. Só assim é possível entender se aquele sinal corresponde ou não a um tumor.

Os fatores de risco para o câncer de mama

A idade é um dos principais grupos de risco para essa doença – para se ter uma ideia, a cada 5 mulheres diagnosticadas com a doença, 4 estavam acima dos 50 anos. Além disso, o histórico familiar também influencia nas estatísticas.

Mas ele, por si só, não é um número expressivo. O problema é quando, junto com o histórico, existem maus hábitos. O sedentarismo, alimentação desregulada, tabagismo e excesso de álcool são alguns dos comportamentos que podem aumentar as chances de desenvolvimento da doença.

Além disso, a gravidez tardia, uso de anticoncepcionais por um longo período e terapias de reposição hormonal são outros fatores que podem impactar o nosso bem-estar.

Por isso, mantenha bons hábitos e o acompanhamento médico em dia. Além disso, não deixe de fazer o autoexame para conhecer o próprio corpo e procurar ajuda quando algo não for bem.

Ouça o post
Voiced by Amazon Polly

O artigo escrito por:

Profissional com sólidos conhecimentos técnicos que estão alinhados com sua experiência prática. Atua no segmento oftalmológico a mais de 20 anos. Focando principalmente em alternativas diferenciadas e inovadoras nas suas funções. Esse conjunto de características oferece aos clientes uma relação perfeita entre a córnea e os diversos tipos de lentes de contato. Trazendo ao usuário o máximo de qualidade a sua visão.“ Tenho como princípio básico que a personalização do atendimento leva a excelência”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.