Notícias

App permite que cegos tenham “guia virtual”

 

Já pensou em “emprestar” seus olhos para alguém que tem alguma deficiência visual? Graças ao aplicativo Be My Eyes (“Seja meus olhos”, em tradução livre) isso já é possível! Pessoas que possuem deficiências visuais como baixa visão ou até mesmo visão zero enfrentam algumas atividades cotidianas como desafios, muitos deles pela falta de acessibilidade. Verificar a cor de uma peça de roupa, checar a validade de algum alimento, identificar objetos, ler placas ou outras sinalizações nas ruas…esses são só alguns exemplos em que o aplicativo Be My Eyes pode conectar pessoas ao redor do mundo e fazer a diferença!

Como funciona o aplicativo?

O aplicativo está disponível para download gratuito para iOS e Android e, para utiliza-lo, basta realizar um cadastro com nome, e-mail e senha. Você deverá escolher se é um voluntário ou deficiente visual, além de um idioma principal e permitir o acesso do microfone do celular – para os deficientes visuais, é também necessário autorizar o uso da câmera do aparelho, utilizada durante a chamada de vídeo.

No caso dos deficientes visuais, o app conta também com uma série de funcionalidades acessíveis para que o usuário consiga se conectar e pedir ajuda de forma mais fácil – eles só precisam tocar em um botão que ocupa a maior parte da tela da plataforma, simplificando a busca por voluntários.

Os voluntários do Be My Eyes recebem uma notificação sempre que alguém precisar de ajuda e se não puderem atender à chamada no momento, o aplicativo encaminha o pedido a outra pessoa. Os deficientes visuais. As ligações podem ser feitas em conexões wi-fi ou redes móveis e não tem um limite de duração. O funcionamento lembra uma chamada por Skype ou FaceTime, mas é completamente acessível para quem pede ajuda.

Como surgiu o app “Be My Eyes”?

O criador do Be My Eyes é o dinamarquês Hans Jørgen Wiberg, um deficiente visual que trabalha desde 2012 com um time para tornar o aplicativo uma realidade, impactando a vida de inúmeras pessoas. Segundo ele, a plataforma foi inspirada no recurso do FaceTime disponível nos iPhones, e ele explorou todas as funções de acessibilidade do aparelho para criar seu próprio app.

Em Outubro de 2013, Hans apresentou a ideia do Be My Eyes em um TED Talk, que foi finalmente lançado em Janeiro de 2015. Desde então, os números só crescem! No final de 2017 o aplicativo ganhou sua versão para Android, o que aproximou ainda mais as pessoas e expandiu o alcance da ferramenta.

São mais de 550 mil voluntários cadastrados e cerca de 39 mil deficientes visuais nos 150 países em que o app pode ser baixado. Como existem muitas pessoas dispostas a contribuir, isso faz com que mais de 90% das chamadas sejam estabelecidas em menos de 60 segundos de espera.

 

 

Ouça o post

O artigo escrito por:

Profissional Técnica Óptica, é formada em Técnico Óptico no Senac Tiradentes e tem mais de 18 anos de experiência na área. Tem conhecimentos avançados sobre lentes de contato, podendo facilmente identificar, interpretar e aplicar tecnologias disponíveis para adaptação de lentes de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.